Literatura/Rentrée: literatura traduzida

Para quem começa a ter de escolher livros para os Projectos de leitura, aqui ficam sugestões fresquinhas: John Updike, Bret Easton Ellis, Saul Bellow, Mark Twain, Paul Auster, John Fante e Manuel Puig são alguns dos autores com novos títulos publicados em Portugal a partir desta semana.
“Pecados e Seduções”, de John Updike, cuja obra tem vindo a ser publicada em Portugal pela Civilização, será um dos livros da rentrée, bem como “Deixa o Grande Mundo Girar”, de Colum McCann, romance aclamado pela crítica internacional e vencedor do National Book Award 2009.
A Cavalo de Ferro vai apostar em “Pan”, romance do Prémio Nobel Knut Hamsun, “Os Peixes Também Sabem Cantar”, do também Nobel Halldór Laxness, e “Um Rio de Tinta Irlandesa”, romance de Flann O’Brien ainda com título provisório.
A Teorema edita em setembro “Quartos Imperiais”, a sequela de “Menos Que Zero”, do norte-americano Bret Easton Ellis, um inédito em Portugal de Vladimir Nabokov intitulado “Desespero” e “Em Anexo”, o primeiro romance da norte-americana Isabel da Fonseca, mulher do britânico Martin Amis, cuja romance de estreia, “Os Papéis de Rachel”, sairá na Quetzal, bem como um livro que o autor classifica como um dos grandes romances da literatura americana: “As Aventuras de Augie March”, de Saul Bellow, Nobel da Literatura 1976.
Na Tinta-da-China “A Viagem dos Inocentes”, de Mark Twain, mais um título da coleção de Literatura de Viagens.
A Asa editará “O Fim-de-Semana”, de Bernard Schlink, “Sono Crepuscular”, de Edith Warton, e, em outubro, o mais recente Paul Auster, “Sunset Park”, quase em simultâneo com o lançamento nos Estados Unidos.
“O Passado”, do argentino Alan Pauls, é um dos títulos da rentrée da Dom Quixote, que em outubro lança o último livro de Salman Rushdie, “Luka e o Fogo da Vida”, uma obra infanto-juvenil dedicada ao seu filho Milan, de 11 anos.
Na segunda quinzena, a Ahab propõe “O Filho de Jesus”, de Denis Johnson (com tradução de João Tordo), “O Quinto em Discórdia”, de Robertson Davies, e “A Primavera Há-de Chegar, Bandini”, de John Fante (traduzido por Rui Pires Cabral).
A Porto Editora lança em setembro “O Tempo entre Costuras”, da espanhola Maria Dueñas, e “Dez Mil Guitarras”, de Catherine Clément, que virão ambas a Portugal apresentar os respetivos romances.
A Assírio & Alvim completará a publicação da obra de Nikolai Gógol, com “O Casamento – Fragmentos e Cenas”, traduzido por Nina e Filipe Guerra, e “Poesia – uma antologia de Il Canzoniere”, de Umberto Saba, considerado um dos maiores poetas italianos do século XX, ao passo que a Cotovia editará “O Dever da Memória”, de Primo Levi, “Quanta, Quanta Guerra”, da escritora catalã Mercé Rodoreda, e “O Caderno Cinzento”, de Josep Pla.
A Bertrand lançará “O Contador de Histórias”, de Rabih Alameddine, um romance aclamado pela crítica, e a Presença propõe “A Casa dos Sete Pecados”, de Mari Pau Dominguez, um best-seller em Espanha, galardoado com o Prémio CajaGranada.
A Ulisseia publicará nesta rentrée um elevado número de obras, com destaque para a primeira edição portuguesa de “A Traição de Rita Hayworth”, do argentino Manuel Puig, o volume de contos “Break it Down”, da norte-americana Lydia Davis, “Tapeçaria do Sinai”, daquele que é considerado o grande escritor norte-americano esquecido, Edward Whittemore, “O Capitão das Sardinhas”, de Manuel Manzano, e “Uma Parte do Todo”, o romance-sensação com que se estreou o australiano Steve Stoltz.