Poema de Augusto Branco


Poema apresentado na aula de Português – 9ºB, pela Joana Tavares.

Já perdoei erros quase imperdoávies
Tentei substituir pessoas insubstituíveis
E quase esqueçer pessoas onesquecíveis

Já fiz coisas por impulso
Já me desiludi com pessoas
Que nunca pensei que me desulidiriam
Mas também desiludi alguém

Já abracei para proteger
Já ri quando não devia
Fiz amigos eternos
E amigos que nunca mais vi.

Amei e fui amado
Mas também fui rejeitado
Fui amado e não amei

Já gritei e saltei de tanta felicidade
Já vivi de amor e fiz promessas eternas
Mas também me magoei muitas vezes

Já telefonei para ouvir uma voz
E apaixonei-me por um sorriso
Já pensei que fosse morrer de tanta saudade
Tive medo de perder alguem especial ( e acabei por perder)

Mas vivi!
E ainda vivo!
Não passo pela vida
E também tu não deverias passar!

Bom é lutar com determinação
Abraçar a vida com paixão
Perder com classe
E vencer com ousadia.

Porque o mundo pertence a quem se atreve
E a vidaé “muito” para ser insignificante.
VIVE!

de: Augusto Branco